BC afirma que mais da metade da população brasileira trabalhadora recebe salário em cédula

04/07/2014 12:13

Pesquisa ocorreu no primeiro semestre de 2013, e mostrou que mais da metade dos trabalhadores recebe salário em dinhero (Foto: Morgue File)

 

Pesquisa feita pelo Banco Central nos meses de abril e maio do ano passado, divulgada nesta quarta (02), revela que 55% da população brasileira trabalhadora recebe o salário em dinheiro/espécie. A pesquisa denominada “O brasileiro e sua relação com o dinheiro”, teve como público alvo homens e mulheres, com 18 anos ou mais, sendo 1.012 entrevistados.

Segundo a pesquisa, a maior parcela dos entrevistados residem na região Sudeste (45%) e em cidades da região metropolitana (77%). 34% vivem em cidades litorâneas.

A pesquisa mostra que 52% dos entrevistados possuem Conta Corrente. Em relação à última pesquisa feita em 2010, houve um aumento de 1%. Já nos dois anos, 42% da população possuía Conta Poupança. “Nos últimos três anos houve decrescimento na posse de itens financeiros como cheque e Cartões de Débito e Crédito”, relata o estudo.

Locais onde armazenam as cédulas

“Observa-se de 2010 para 2013, uma ligeira mudança no comportamento da população em relação ao local de transporte das notas”, afirma o BC de acordo com os dados levantados. 57% revelam que guarda as cédulas na carteira, sendo 61% em 2010.                  

No ano de 2010, 24% armazenavam as cédulas nos bolsos das calças, aumentando em 14% em 2013, alterando para 38%.

“A maioria dos entrevistados ainda utiliza a carteira, especialmente os homens, entretanto, aumentou o porcentual de pessoas que utilizam outros locais de transportes”. 

Recebimento de notas em mal estado

Segundo a pesquisa feita pelo BC, em comparação dos levantamentos, observa-se redução do porcentual, em 8%, de entrevistados que declaram usar normalmente as notas que não estão em bom estado de conservação. Passando de 64% para 56%.

Nos dois anos, 3% dos entrevistados depositam as notas no banco. 35% pedem para a pessoa substituir, crescimento de 6%.

Hábitos de uso

De acordo com o Banco, em um dia típico a população costuma levar em média R$54,65. “Quase metade da população (44%) leva diariamente entre R$50,00 e R$100,00”. Ainda segundo ela, as notas de R$5,00, R$10,00 e R$2,00 são “as que a população mais sente falta quando precisa fazer um pagamento”.

Uso das moedas

39% da população entrevistada, afirmam que costumam levar diariamente mais de R$2,00 a R$3,00 em moedas. Índice superior em 2010, com 21%.

O levantamento mostra também que as moedas de R$1,00 e R$0,50 são as que a população mais sente falta. Há ainda, “um pequeno decréscimo na taxa dos que consideram necessário ter moedas com valor superior a R$1,00. A de R$2,00 continua sendo a principal indicação”.

Cédulas falsas

A pesquisa revela que no ano passado houve uma redução no percentual de pessoas que declarou já ter recebido uma nota falsa. “Os valores de R$50,00 e R$10,00 continuam sendo os mais frequentes”, informou.

Como mostra os dados, 47% lembram-se de divulgações sobre o reconhecimento de cédulas verdadeiras. Queda de 7% em relação a 2010. Metades dos entrevistados afirmam verificar marca-d’água como elemento de segurança, e 39% a textura.

Quando o estabelecimento comercial percebe, durante o fechamento do caixa, a nota falsa e o cliente já foi embora, nos anos de 2010 e 2013, 27% dos entrevistados dizem que a cédula é “jogada fora”.

Reportagem: Reinaldo Diniz